Pesquisar este blog

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

De insistir num passado doce.

Eu desejei, e de desejar cansada Parti a procurar os novos gostos Atrás de mim restaram desatinos O meu amor e um nome tatuado. Eu desejei e agora tenho nada Demasiado vazia e solitária A vagar pela penumbra Notívaga,alheia e enfumaçada. Eu desejei e agora estou cansada De noites em vão desperdiçadas Deixei pra trás o meu antigo vício E permaneço ainda viciada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário